no silêncio circular das manhãs há o rumor das pálpebras que batem ao longo da silhueta do teu rosto. há a minha mão sobre a tua. há o verão dos teus olhos que escorrem ao longo da minha pele. e balouçam sobre o trilho de mar que murmura na tua boca.

a norte, as mãos estão na água. alinhadas com a tua voz.

se me soprares ao ouvido o teu coração, eu direi: sou água, sou boca, sou língua. sou em ti.


este silêncio - milagre (fonte: youtube.com)


1 comentários:

Ema Inácio disse...

Deixo-me tocar pela memória clara e solar das tuas mãos. Dedo a dedo. Como se o redor do mundo atravessasse o prumo azul do teu olhar. Como se deitada em frente ao mar me poisasses o céu em repouso sobre as linhas do corpo. Despida na transparência da pele salgada que arde sobre a água das palavras com que escreves na minha boca que me amas. E precipitas a Primavera para dentro dos nossos braços.Onde somos.